Destaques

UMA CONVERSA COM DOUG WHEELOCK

 Doug Wheelock – O astronauta, que tem vínculos com a Oklahoma Christian University, deixou a terra em 15 de junho, e está escalado para comandar a Estação Espacial Internacional (International Space Station) até dezembro.

Em 15 de junho, Doug Wheelock apertou o cinto no foguete russo Soyuz, em Baikonur, Rússia, e partiu para unir-se a outra aeronave e acoplar-se a Estação Espacial Internacional em 17 de junho.  Por seis meses, ele é o Comandante da Estação Espacial Internacional, o seu lar, até seu retorno à terra marcado para dezembro. A missão é ISS Expedition 25.

O Sr. Wheelock é um coronel do Exército dos E.U.A. Ele também é um engenheiro espacial e piloto de testes. Aviador do Exército, ele serviu como um oficial do batalhão de operações e comandante de uma Tropa de Cavalaria Aérea na 9ª Cavalaria dos E.U.A.

Entre seus diversos troféus estão “Meritorious Service Medal” (condecoração de serviço militar veterano) (1ª Oak Leaf Cluster, medalha de bronze ou prata concedida a quem recebeu outra medalha), “Army Achievement Medal” (medalha concedida a oficiais subalternos) (2ª Oak Leaf Cluster), “National Defense Service Medal” (medalha por serviço de defesa nacional) e “Global War on Terrorism Service Medal”, (condecoração por serviços antiterrorismo prestados desde 11 de setembro de 2001) e uma “Master Aviator badge” (insígnia de aviador mestre) e “Air Force Space and Missile badge” (condecoração concedida aos que completam treinamento espacial).

Ele se candidatou a astronauta no Centro Espacial Johnson da NASA em 1998. Ele anteriormente voou até a Estação Espacial Internacional em 2001 e 2002 e registrou muitas horas flutuando no espaço em diversas caminhadas espaciais. 

A ligação de Wheelock com a Oklahoma Christian University começou em 2007 em Houston, quando ele conheceu Bobby e Kay Murcer. O antigo jogador de campo extremo dos Yankees e membro da igreja em Oklahoma, estava recebendo tratamento para o câncer em um hospital de Houston, cuja doença tirou sua vida um ano mais tarde. Wheelock, que crescera em Binghamton, N.Y., era fã dos Yankees durante toda sua vida e o seu ídolo de infância era Bobby Murcer.

Através de sua amizade com Murcer, Wheelock ouviu sobre a Oklahoma Christian University. Em março o astronauta falou em um jantar beneficente na universidade. Ele compartilhou de suas experiências no espaço, e falou de sua forte fé em Deus e Jesus Cristo.  O Sr. Wheelock está programado para falar neste outono ao corpo discente da Oklahoma Christian University, com transmissão da Estação Espacial Internacional. 

O Sr. Wheelock é formado pela Academia Militar dos Estados Unidos (United States Military Academy) em West Point e Escola Técnica da Georgia (Georgia Tech graduate school).

Suas experiências no espaço lhe proporcionaram lições espirituais?Sim, absolutamente. Na realidade, quando olho para o tempo que passei no espaço, as imagens e emoções que permanecem comigo são profundamente espirituais.  Os meses e anos de preparação para uma missão especial são cheios de lições mentais, intelectuais, e físicas que formam uma experiência muito única e individual. Mas, eu estou convencido que é impossível preparar para o despertamento espiritual que ocorre quando você vê nosso planeta suspenso contra o pano de fundo do vasto vazio do espaço profundo. As lições espirituais são inúmeras, e talvez a mais profunda seja a indescritível beleza e mistério da criação de Deus. Você não vê fronteiras, nem barreiras, nem limitações, ou conflitos, e ódio. É só esse grande planeta azul, uma explosão de cores, vibrando com vida, em um infinito mar de trevas. Os cuidados do mundo e as lutas humanas parecem desaparecer deste ponto de vantagem, dando lugar ao assombro e pura majestade.  Somos apenas os que cuidam de um mundo frágil, protegido por uma fina atmosfera e coberto com a  inigualável graça de um Deus poderoso.

Qual o papel da oração para você em uma missão espacial?  Bem, muito simples, a oração é talvez o elemento mais importante em minha caminhada cristã, e em meu relacionamento com Deus. É a forma de eu dizer a Deus o quão grandioso Ele é, e que obra prima Ele criou. É uma maneira pessoal de eu confessar minhas falhas, e pedir a Ele por seu perdão e contínua graça. É a forma que posso pedir por sua proteção para minha tripulação e por sabedoria e direção como comandante.  Em uma missão espacial há tantas coisas que fogem ao controle, e incontáveis outras que podem sair erradas, em um mundo com uma margem muito pequena para erro. Estas são precisamente as razões pelas quais eu tento estar sempre com minha mente voltada para a oração. Os tempos em que estou mais vulnerável são quando as coisas estão indo bem e de acordo com o plano. São nestas horas tranquilas que eu sou mais propenso a dar tapinhas nas minhas próprias costas, como se estas fossem coisas que eu tivesse alcançado com minhas próprias forças. É fácil orar quando um foguete está prestes a se acender debaixo de você, ou quando você está envolto por uma bola de fogo enquanto entra novamente na atmosfera da Terra. É muito mais difícil estar em oração quando tudo está indo tranquilamente de acordo com o planejado, quando as coisas parecem “rotina”, quando nós humanos temos a tendência de ficar impressionados com nossos feitos.

As Escrituras dizem: “Os céus declaram a glória de Deus.” Como suas experiências espaciais se relacionam com este ensino? Esta é uma de minhas passagens favoritas, do Salmo 19. Eu posso imaginar Davi nos campos cuidando das ovelhas e olhando para a vastidão do espaço, e um céu cheio com bilhões de estrelas. Não há mais nada a dizer além de: “Uau, quão grande és Tu!”  
Minhas experiências no espaço se relacionam diretamente a reação de Davi à majestade da criação de Deus. Minha reação humana é uma combinação de humildade e lágrimas. Que Deus tremendo que nós servimos! Os céus declaram a Sua glória! E o firmamento revela Sua obra! Nada pode preparar você para aquilo que seus olhos vêem do espaço. É de fato uma obra prima, exatamente a mesma obra prima que Davi descreveu no Salmo 19. As duas experiências estão diretamente relacionadas.

Sendo um engenheiro e cientista, como a experiência espacial afeta você e sua fé? Eu amo quando me fazem esta pergunta, especialmente aqueles que buscam por respostas e verdade, ou daqueles que são agnósticos. A questão é geralmente colocada como se a ciência e a lógica da engenharia fossem mutuamente incompatíveis com uma vida de fé. Minha experiência no espaço não fez nada além de fortalecer minha fé em Deus e minha crença na criação divina. Na verdade, eu estou convencido que seria necessária uma inimaginável quantidade de fé para acreditar que tudo isso aconteceu só por acidente. Eu passei mais de 20 horas fora da Estação Espacial, em três caminhadas espaciais, durante a minha primeira missão, e a visão mais profunda é contemplar a Terra suspensa em um vasto, infinito vazio. Para mim é absolutamente impossível ter simplesmente acontecido. Parece mais com traços pintados pelas mãos do Mestre. Tudo é surreal demais e de tirar o fôlego.

Você leva uma Bíblia para o espaço? Quais são suas passagens favoritas? Bem, devido às restrições de peso e volume, eu não posso levar uma Bíblia completa para o espaço, mas eu  tenho uma eletrônica, assim como acesso a estudos devocionais eletrônicos. Há tantas passagens que eu memorizei, e outras que têm significado especial para mim. Mas, se eu pegar algumas favoritas, estas três seriam as principais: Provérios 3.5-6: “Confia no SENHOR de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas.” Isaías 40.31: “Mas os que esperam no SENHOR renovarão as suas forças e subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão.” Isaías 55.12: “Porque, com alegria, saireis e, em paz, sereis guiados; os montes e os outeiros exclamarão de prazer perante a vossa face, e todas as árvores do campo baterão palmas.” A palavra de Deus é tão poderosa, e para mim, minhas passagens favoritas da escritura são aquelas que focam na promessa de Deus de força em tempos de fraqueza, restauração em tempos de quebrantamento, e paz em tempos de angústia e desespero. 

Você disse em um discurso que “olhar para a escuridão do espaço sideral é aterrorizante.” Por favor, explique. Até hoje, quando penso naquela visão, eu ainda sinto calafrios. Com relação as minhas mais vívidas memórias visuais, esta é a mais clara de uma caminhada espacial, quando a única coisa entre você e a eternidade é o fino visor do seu capacete.No espaço, o ambiente é um completo vácuo. Não há moléculas, e nem atmosfera para distorcer ou repartir luz ou qualquer imagem visual. Então, a esfera da Terra e da lua dá uma percepção única de profundidade ao sistema solar, e unido ao brilho variado das estrelas, logo você se vê em um mar de escuridão completamente tridimensional, vasto, e aparentemente sem fim.  Olhando da Terra, da Estação Espacial e do ônibus espacial para a expansão dessa escuridão é algo realmente aterrorizante. Não há ambiente mais inóspito, vazio, oco, e menos tolerante a erros do que este. Nesse momento, eu lembro claramente da minha oração: “Senhor me abraça forte, e, por favor, não deixa eu cair. ”

Diga aqueles de nós que nunca viajarão ao espaço, o que lhe toca mais profundo sobre esta experiência. 
De todos os momentos profundos, e de assombrosas surpresas que uma jornada ao espaço proporciona, a visão mais comovente, e a que me toca mais profundamente, é testemunhar a incrível beleza de nosso planeta Terra. A Terra é absoluta e literalmente uma explosão de cores em um infinito mar de escuridão, uma bola de luz em fúria, suspensa nas garras frias e sem vida do vasto vazio. O contraste é de tirar o fôlego. Eu lembro claramente de estar trabalhando em minha primeira caminhada espacial, e estava tão distraído pelas cores da Terra que eu estava ansioso pelo “pôr-do-sol orbital”, eu achava que poderia fazer minhas tarefas sem distração. Impossível. A Terra à noite dança com plumas de relâmpago e dedos de raio Mesozóico se estendendo por centenas de milhas sobre a superfície. Flashes da aurora correm em direção aos pólos norte e sul e os envolve, um impressionante show de luz que mais parecem traços pintados de uma obra prima sem preço. Então, do canto do meu olho, um flash de luz como um meteoro queima através de nossa atmosfera diretamente abaixo de mim.  Este é o momento mais profundo; é como se o Criador ainda estivesse criando. O planeta continua com violência, como se “os céus e a terra declaram a glória de Deus, e o firmamento revela as obras de suas mãos.” 

 

Orador da capela fora deste mundo: Astronauta fala do espaço aos estudantes

ENVIADO POR: 






Todos os artigos